Lost: Final da 4 Temporada

lost 4temporada Lost: Final da 4 TemporadaO seguinte texto contém spoilers e não é aconselhado a quem ainda não viu o episódio.

Para visualizares o texto deverás sublinhar a parte branca que se segue.

Nota: O seguinte texto foi retirado do site SériesEtc

Mais um fim de temporada de “Lost” e mais um episódio duplo final de derrubar qualquer queixo no chão. Nada que não fosse esperado, claro, mas… quem diria que Sawyer se sacrificaria pelos Oceanic Six? Que Desmond e Penny iriam se reencontrar? E, sobretudo, que a ilha se move de verdade??? Ah, e isso sem falar no morto do caixão… E a gente aposta que você nem imaginava que seria ele.

Acompanhe os parágrafos abaixo e saiba – ou relembre, se você já tiver visto o episódio – tudo o que aconteceu na segunda e terceira partes de “There’s No Place Like Home”.

O episódio começa exatamente na cena do flash-forward que encerrou a terceira temporada. Após arrancar com o carro e ouvir os gritos de Jack de que eles precisam voltar à ilha, Kate dá meia-volta e retorna para falar com o médico. Berrando, ela se diz indignada por Jack ter falado para eles voltarem, argumentando: “Você fica me ligando dois dias seguidos, com um obtuário de Jeremy Bentham. Quando ele me disse que deveríamos voltar, sabia que ele estava louco. Mas você acreditou nele!”. Jack confirma, dizendo que Bentham disse que era o único jeito de manter Kate e Aaron seguros.

“Após três anos tentando esquecer o que aconteceu quando saímos, como você ousa me pedir para voltar?”, disse Kate, se despedindo.

Na ilha, Jack e Sawyer encontram Hurley, que aponta Locke dentro da estação Orquídea. Locke percebe a presença dos dois: “Olá, Jack”.

No navio, Desmond, Jin e Michael observam os explosivos. O Brotha diz que estudou explosivos no exército, aponta que há um rádio-receptor ligado à bomba e que qualquer fio cortado ou desconectado pode detonar a bomba.

De volta à Orquídea, Locke explica que há uma estação Dharma abaixo do solo e ele está buscando a entrada. O careca pede para falar a sós com Jack, que se recusa, querendo voltar ao helicóptero. Hurley então conta que essa é uma idéia ruim, pois Ben deve estar sendo levado de volta ao veículo por um grupo armado naquele exato momento.

Longe dali, Keamy pergunta a Ben por que Widmore moveu tal missão para capturá-lo. Eles são interrompidos pela chegada de Kate, que também é rendida e conta que está sendo perseguida pelo povo de Ben. Keamy dá ordens para seus homens vasculharem o local. Eles vão sendo mortos pelos Outros e logo começa uma troca de tiros. Ben e Kate saem correndo, e Keamy vai atrás deles.

O militar é então derrubado por Sayid. Os dois brigam feio; e quando Keamy está prestes a sufocá-lo, é baleado por Richard Alpert. Ben e Kate vão até eles e o líder dos Outros pergunta a Alpert qual foi o acordo. “Eles nos ajudavam a te libertar e nós os deixaríamos sair da ilha”. Ben concorda, dizendo para eles pegarem o helicóptero.

Flash-forward. No Santa Rosa Mental Health Institute, Hurley recebe a visita de uma senhora negra, que logo conta que foi lá para levar seu neto… É Walt, agora um adolescente. Ele conta ao Dude que Jeremy Bentham foi vê-lo. “Por que vocês estão mentindo?”, perguntou o garoto. Hurley diz que é para proteger os que não voltaram, incluindo Michael.

Do lado de fora da Orquídea, Hurley pergunta a Sawyer se Claire e o bebê estão bem, mas o golpista nada diz; e na estufa, Locke tenta sem sucesso convencer Jack de que ele deve ficar na ilha. “Não era para você voltar. Você sabe que está aqui por uma razão, e se você sair, esse lugar e sua sabedoria te engolirão, até que você decida voltar”, diz o careca.

Ao se despedir, Jack ouve de Locke um pedido: “Você terá que mentir sobre tudo o que aconteceu, desde a queda do avião, para proteger a ilha”. O médico se indigna, dizendo que é só uma ilha; e o careca discorda, afirmando que aquele é um lugar onde milagres acontecem e que, se Jack discorda, que espere o que ele fará. O doutor diz: “Não há milagres”. Locke devolve: “Então veremos qual dos dois está certo”.

Ben chega e abre o elevador da Orquídea. Jack fica intrigado, mas Ben diz para ele que os sobreviventes estão sendo levados ao cargueiro, que Sayid e Kate estão esperando no helicóptero e que, se fosse ele, estaria no barco dentro de uma hora. Locke diz novamente para Jack mentir e entra no elevador com Ben…

No deck do navio, Michael – que carrega um cilindro de nitrogênio líquido – explica a Sun que aquilo que ele está carregando pode desativar os explosivos. Ele diz também que mandará Jin ir encontrar com ela logo. Antes de Michael entrar na cabine, ela conta que está grávida e ele a parabeniza.

Michael explica a Jin e Desmond que tentará congelar a bateria que alimenta o detonador com o nitrogênio. Enquando o Brotha e Jin tentam estudar os fios, Michael começa a congelar a bateria.

Faraday chega à praia com o bote e vai falar com Miles e Charlotte, dizendo a eles para estarem em dez minutos no próximo bote. Miles diz que não sairá da ilha, mas Charlotte concorda. O físico se afasta, e Miles diz a Charlotte que é estranho que ela queira sair da ilha, depois de a ruiva ter levado tanto tempo para voltar à ilha. Ela finge não entender a frase, e ele se faz de desentendido…

Depois de descerem bastante, Locke e Ben chegam à estação. Locke faz perguntas sobre o local, e Ben entrega a ele a fita de orientação da estação. Locke assiste ao vídeo, em que o apresentador Edgard Hallowax explica que a Orquídea é um local de experimentos sobre deslocamentos de tempo e espaço e fazendo uma demonstração com um coelho em uma cabine que nunca deve ter objetos metálicos. Só que, enquanto Locke vê a fita, Ben está justamente enchendo a cabine de metais. A fita emperra, Locke pára de vê-la e os dois ouvem o elevador sendo acionado.

No helicóptero, Hurley, Jack e Sawyer reencontram Kate, Sayid e Lapidus. Eles libertam o piloto e decolam!

De volta à Orquídea, vemos Keamy chegar. Escondidos, Locke e Ben o ouvem dizer que ele traz no braço uma espécie de “seguro de vida”: um rádio-transmissor que capta sua pulsação e que, se ele morrer, ativa os explosivos do cargueiro. Subitamente, Ben surge do nada, apunhalando Keamy no pescoço. Locke diz: “Você acaba de matar todo mundo no barco!”. Ben: “E daí?”.

Na praia, Charlotte se despede de Faraday, pois resolve ficar na ilha. E revela: “Faz algum sentido para você se eu te disser que ainda estou procurando o local em que nasci?”. Eles se despedem e o bote com o físico e outros sobreviventes parte. Juliet também decide ficar, esperando o resgate.

No barco, Desmond e Jin não conseguem saber quais fios desligar; e Michael avisa que só há 1/4 de cilindro de nitrogênio. “O que acontece se não conseguirmos desativar a bomba?”, pergunta o Brotha. Michael: “Teremos que tirar todo mundo do barco”.

O helicóptero voa, mas há problemas: perda de combustível, causada por uma bala que perfurou o tanque. Lapidus sugere voltar para a ilha, mas Jack o impede. O piloto então manda o grupo se livrar do peso extra que há no veículo e é obedecido por todos. Não adianta muito, e Lapidus diz que eles precisariam se livrar de mais alguns quilos para poderem chegar ao barco. Sawyer então sussurra algo para Kate. “Por que você está me dizendo isso?”, pergunta ela. Sawyer então a beija, salta do helicóptero e começa a nadar de volta à ilha. Kate chora.

Flash-forward. Sayid pergunta as horas a um homem dentro de um carro e, antes de ouvir a resposta, o mata. Vemos que o veículo estava parado na frente do Santa Rosa Mental Health Institute. O iraquiano entra e vê Hurley diante de um tabuleiro de xadrez. Sayid explica a ele que quer levá-lo para um lugar mais seguro, pois Jeremy Bentham morreu. E antes que o Dude fale o nome real de Bentham, Sayid o impede. “Estamos sendo vigiados”, justifica. Hurley conta que tem conversado com os mortos, e Sayid admite: “Paranóia me mantem vivo”.

“Nós não vamos voltar, vamos?”, pergunta Hurley, e Sayid nega. Eles então partem, mas não sem antes Hurley mover uma peça do tabuleiro e anunciar: “Xeque-mate, Mister Eko”.

No helicóptero, Lapidus diz que ainda não avistou a ilha e pergunta se alguém mais quer pular. Sem graça, Jack diz para Kate que eles voltarão assim que pousarem no barco. De repente, Hurley avista o cargueiro.

Orquídea. Locke tenta salvar a vida de Keamy, estancando o sangramento dele. “Widmore irá achar você”, diz o militar. “Não se eu achá-lo primeiro”, rebate Ben. Keamy morre, e o mecanismo do rádio é acionado. No barco, o mecanismo da bomba é ativado e Michael manda Jin e Desmond sair, pois eles têm cinco minutos antes que tudo exploda. Desmond sai, mas o coreano fica.

O Brotha corre para o deck e avista o helicóptero. Então, começa a acenar e gritar para que não pouse, pois há uma bomba a bordo, mas Lapidus aterrisa assim mesmo. Kate encontra Sun e Aaron e os leva para o veículo, que é reabastecido e volta a voar. Desmond também está nele. Na cabine, Michael continua tentando resfriar a bateria enquanto Jin tenta estudar a bomba. O pai de Walt manda o coreano ir para o deck, pois agora ele será um pai. Jin agradece e vai.

O coreano sobe e, ao ver o helicóptero se afastar, começa a acenar. De dentro dele, Sun pede para que voltem, e é contida por Jack e Hurley. Lapidus diz que não retornará.

Na cabine, acaba o nitrogênio. Michael então ouve sussurros e Christian Shephard aparece diante dele, dizendo: “Michael, você pode ir agora”. O pai de Walt pergunta quem é ele.

Corta a cena para a explosão do cargueiro. Sun fica completamente desesperada, agarrando Lapidus para que eles voltem, mas Jack diz: “Sun, ele se foi”. A coreana chora, descontrolada, e Jack manda Lapidus voar de volta à ilha.

Flash-forward com Sun em Londres, abordando Charles Widmore na rua. Ela se apresenta como sócia da Paik Industries e filha do sr. Paik. Widmore finge não conhecê-la, e ela se irrita com isso, afirmando que ele sabe quem ela é e o que aconteceu com ela. “Nós temos interesses em comum. Quando quiser conversar sobre isso, me ligue, pois você sabe: nós não somos os únicos que deixaram a ilha”. Widmore pergunta por que ela quer ajudá-lo, mas a coreana parte sem responder.

Na Orquídea, Ben confessa não ter pensado direito ao matar Keamy. Ele fecha a cabine da estação e ativa um comando, ocasionando uma explosão dentro da cabine.

Enquanto isso, Sawyer chega nadando à praia e encontra Juliet. Ele a vê bebendo e quer saber o que está celebrando. “Não estou celebrando”, diz ela, mostrando ao golpista a fumaça no horizonte, vindo do navio explodido…

Novamente na Orquídea, vemos que Ben abriu um buraco na parede da cabine. Vestindo um casaco – o mesmo que usava ao chegar à Tunísia em “The Shape of Things To Come” -, ele manda Locke pegar o elevador e voltar à superfície, pois Richard Alpert e os Outros esperam por ele a duas milhas da estação, prontos para compartilhar o que sabem e para segui-lo; e explica também que deve seguir sozinho pois aquele que move a ilha jamais voltará a ela. Eles se despedem.

Lá fora, Locke vai ao encontro dos Outros e é saudado por Alpert: “Bem-vindo ao lar”. Locke sorri.

Dentro da Orquídea, Ben entra pelo buraco aberto na cabine. Saindo em um lugar congelado, ele desce uma escada mas acaba caindo e machucando o braço. De frente para o que parece ser um mecanismo giratório, ele diz: “Espero que esteja feliz agora, Jacob”. Com dificuldade, ele acaba conseguindo girar o mecanismo.

As pessoas que estão na ilha e os passageiros do helicóptero ouvem um barulho alto, parecido com o ocorrido quando Desmond girou a chave da escotilha Cisne. Logo após um clarão, Jack e companhia percebem que a ilha sumiu! Sem combustível, o helicóptero vai então perdendo força. Sayid atira um bote inflável para fora dele, e o veículo cai n’água.

Todos então nadam até o bote, mas Desmond está desacordado, sem respirar. Jack consegue salvá-lo com respiração boca a boca.

Novo flash-forward. De carro, à noite, Jack chega de volta à funerária – a mesma do caixão do fim da terceira temporada. Ele arromba a porta, abre o caixão e observa o morto, identificado em uma ficha como Jeremy Bentham. E alguém chega subitamente: Benjamin Linus!

“Ele te disse que eu estava fora da ilha?”, pergunta Ben, e Jack responde positivamente, contando que falou com Bentham há cerca de um mês, que o morto também foi ver Kate e que, antes de morrer, disse a ele, Jack, que desde que eles partiram, coisas terríveis aconteceram na ilha. “Ele disse que foi tudo culpa minha, por ter partido; e disse que eu teria que voltar”, completou o médico.

Ben disse que sabe que Jack anda pegando vários vôos na esperança de que um deles caia e afirma que está ali para avisar que a ilha não o deixará voltar sozinho. “Todos vocês têm que voltar”, diz o ex-líder dos Outros. Frustrado, Jack fala de seus colegas, não acreditando que eles queiram voltar. “Eu posso te ajudar com isso. Todos vocês precisam voltar”, comenta Ben.

“Como?”, pergunta Jack. “Tenho algumas idéias”, responde Ben. Jack concorda e, ao se encaminhar para a porta, ouve de Ben: “Eu disse vocês todos, Jack. Teremos que levá-lo também”. Os dois então olham para o caixão e enfim descobrimos quem

Qual a tua opinião sobre o final desta temporada?

Mais Artigos

1 Comentário

  • paulo
    1 Jun 2008 | Permalink |

    Tal como dito, era Locke que estava no caixão.. :)

Enviar Comentário